NAQUELE TEMPO – Palmares, Zumbi e Dia da Consciência Negra

QUILOMBO DOS PALMARES
Assim que os povos europeus começaram a viajar e a querer conquistar o novo mundo, recentemente descoberto, surgiu a escravidão do povo africano. Mais de 400 anos de tráfico, legal e ilegal, destruiram famílias e vilas inteiras para levar para o novo continente mão-de-obra escrava e desfrutar dela até à sua morte.
Os escravos eram usados para trabalhar nas plantações, nas fazendas e em casas nobres nas zonas urbanas. Com o surgimento de rebeliões e aumento de fugas do povo escravo, este começou a auto organizar-se, criando vilas no interior das florestas, onde se vivia em liberdade, estas vilas foram chamadas QUILOMBOS.
O mais famoso destes quilombos foi o de Palmares, que surgiu em 1602 na zona da “Serra da Barriga” em Alagoas, através de uns quarenta escravos fugidos de Pernambuco. Palmares cresce até se tornar numa cidade escondida na floresta e composta por 12 vilas e 20.000 habitantes.
Neste quilombo viviam negros de várias etnias, índios e também brancos.
O primeiro líder de Palmares foi Ganga Zumba (“o grande senhor”), que vem a ser sucedido na liderança por Zumbi.
Durante a sua existência de quase um século, este quilombo foi atacado por mais de 25 vezes, resistindo sempre às ofensivas portuguesas e holandesas. Até que, em 1694, conseguem destruir esta força e no ano seguinte o seu líder.

ZUMBI

Nasceu livre em 1655.
É raptado com poucos meses de idade no quilombo de Palmares e entregue como presente a um padre, que o chamou de Francisco e que a ele muito se afeiçoa. Na sua infância não faltam comida, medicamentos e até uma boa educação.
Ao completar 25 anos, Francisco foge, voltando ao seu quilombo, e passando a chamar-se Zumbi. Na altura do seu retorno a Palmares, quem governava era Ganga Zumba e Zumbi, exactamente pela sua educação, torna-se sobrinho adoptivo do líder quilombola.
Entretanto expedições cada vez mais fortes e numerosas contra Palmares começam a fazer-se sentir sobre o povo e sobre Ganga Zumba. É nesta altura que Zumbi, jovem, forte, ousado e comandante dos soldados tem os seus primeiros diferendos com o líder.
Quando Ganga Zumba pensa que não há outra possibilidade senão fazer um acordo com o governador, Zumbi opõe-se, dá-se então a rotura definitiva entre os dois.
Ganga Zumba aceita negociar com o governo, deixando Palmares com uma parte modesta de quilombolas e transferindo-se para Cacaú, onde lhe tinham sido prometido terras, enquanto os restantes mantêm-se ao lado de Zumbi, prontos a lutar pela sua liberdade e transformando o quilombo numa gigantesca fortaleza.
Zumbi foi um guerreiro implacável, incapaz de hesitar diante de qualquer confronto, o seu corpo era uma flecha apontada ao coração da sociedade esclavagista.
A guerra dura 15 anos quase sem tréguas e Zumbi não entrou em quaisquer negociações. No final do século XVII, o governo, secando os fundos, organiza a maior expedição contra Palmares e promete dinheiro a quem se voluntaria e contrata o mais célebre caçador de índios, que se tornou mestre de guerra no interior das floresta, Domingos Jorge Velho.
Em 1694, um exército de 90.000 homens marcha contra o quilombo, só 130 anos depois (na guerra da independência) se vê um exército maior. Quando o exército chega a Palmares não podia acreditar que aquilo que tinha pela frente fosse obra de homens negros, não uma mas sim três muralhas de madeira e de pedra rodeavam e defendiam o quilombo por cerca de 5km.

DESENHO

Depois de meses de diversas tácticas de guerrilha, o exército comandado por Velho entra em Palmares destruindo tudo o que encontra, 2.000 quilombolas fogem continuando vários ataques aos soldados durante quase um ano, até que Zumbi é assassinado, traído numa emboscada.
A sua cabeça é exposta numa praça em Recife como troféu.

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

20 de Novembro é um dia especial no Brasil, um dia dedicado ao povo negro e à posição que este ocupa na sociedade.
Se comemora a morte de Zumbi dos Palmares (20 de Novembro de 1695) e se festeja a luta pela liberdade.
É a partir dos anos 70’, que surgem em todo o Brasil estas manifestações, sempre cada vez mais numerosas e com grande participação de movimentos afro-brasileiros.
Se festeja o resgate do povo negro, a sua liberdade após séculos de escravidão e Zumbi encarna o herói, o símbolo de quem lutou para que tal pudesse acontecer.

Actualmente, o dia da Consciência Negra é festejado um pouco por todo o mundo, por representantes da cultura afro-brasileira como capoeiristas, sambistas e tantos outros.

QUILOMBO DOS PALMARES

Da che gli europei han cominciato a viaggiare e a voler conquistare il nuovo mondo da poco scoperto è iniziata la schiavitù, più di 400 anni di traffico lecito e illecito, estirpando intere famiglie e villaggi africani per portarli nel nuovo continente e sfruttarli come manovalanza fino allo sfinimento.
Gli schiavi venivano usati per lavorare nelle piantagioni, nelle fazendas e nelle case signorili delle zone urbane. Man mano che questo popolo cominciava a ribellarsi e a fuggire iniziavano ad auto organizzarsi in villaggi all’interno delle foreste dove poter vivere in libertà, questi villaggi venivano chiamati QUILOMBOS.
Il più famoso dei quilombos è quello di Palmares, sorto nel 1602 nella zona della “Serra da Barriga” in Alagoas, nato da una quarantina di schiavi fuggiti dal Pernambuco, Palmares cresce fino a diventare una città nascosta nella foresta composta di 12 villaggi e 20.000 abitanti. Il Quilombo de Palmares resiste difendendosi da molteplici attacchi per quasi un secolo.
In questo quilombo vivevano neri di varie etnie, indios e anche bianchi.
Il primo lider di Palmares è stato Ganga Zumba (il grande signore), dopo di lui chi prende il comando e la lideranza è Zumbi.
Nel corso della sua quasi secolare esistenza il quilombo viene attaccato per ben 25 volte sempre resistendo alle spedizioni portoghesi e olandesi.
Nel 1994 riescono a distruggere questa fortezza e nel 1695 il suo lider.

ZUMBI

Nato libero nel 1655.
Viene rapito con pochi mesi di età nel quilombo di Palmares e consegnato come regalo a un prete che lo chiamerà Francisco e che molto gli si affezionò. Nella sua infanzia non mancano cibo, cure mediche e persino una buona istruzione.
Compiuti i 15 anni Francisco fugge e torna al suo quilombo, il suo nome diventa Zumbi.
All’epoca del suo ritorno a Palmares, chi governava era Ganga Zumba e Zumbi proprio per l’istruzione che aveva e per le “cose dei bianchi” che conosceva oltre ad una grande intelligenza diventa il nipote adottivo dell’attuale lider quilombola.
Intanto spedizioni sempre più numerose e agguerrite contro Palmares cominciano a farsi sentire sul popolo e su Ganga Zumba. Zumbi era giovane forte spavaldo ed era comandante dei soldati, cominciano i primi screzi tra lui e il lider.
Quando Ganga Zumba pensa che non ci siano altre possibilità se non quella di un accordo con il governatore Zumbi si oppone e si crea la rottura definitiva tra i due.
Ganga Zumba accetta la negoziazione con il governo, lascia Palmares con una parte modesta di quilombolas e si trasferisce a Cacaù, dove gli sono state promesse le terre, mentre il restante rimane al fianco di Zumbi pronto a lottare per la propria libertà, trasformando il quilombo in una gigantesca fortezza.
Zumbi è stato un guerriero implacabile, incapace di esitare di fronte a qualunque scontro, il suo corpo era una freccia puntata al cuore della società schiavista.
La guerra di li in poi dura 15 anni quasi senza tregue e Zumbi non ha mai voluto patteggiare. Alla fine del XVII secolo il governo prosciugando i fondi organizza la più grande spedizione contro Palmares, promette denaro a chi si arruola e contratta il più celebre cacciatore di indios, diventato un maestro di guerra all’interno delle foreste Domingos Jorge Velho.
Nel 1694 un esercito di novemila uomini si mette in marcia contro il quilombo, solo 130 anni dopo (nella guerra di indipendenza) si vede un esercito più grande.
Quando l’esercito arriva davanti a Palmares non poteva credere che quello che aveva davanti agli occhi fosse opera di uomini neri, non una ma tre muraglie concentriche di legno e pietre circondavano e difendevano il quilombo per cinque Km circa.

DISEGNO

Dopo mesi di diverse tattiche di guerriglia l’esercito comandato da Velho entra a Palmares e distrugge tutto ciò che incontra, due mila quilombolas fuggono continuando vari attacchi ai soldati per quasi un anno fino a che Zumbi viene assassinato a tradimento in un imboscata.
La sua testa viene esposta in piazza a Recife come trofeo.

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Il 20 Novembre è un giorno speciale in Brasile, un giorno dedicato al popolo nero e alla posizione che occupa nella società.
Si commemora la morte di Zumbi dos Palmares (20 novembre 1695) e si festeggia la lotta per la libertà.
In tutto il Brasile a partire dagli anni 70’ci sono manifestazioni sempre più numerose con grande partecipazione dei movimenti afro-brasiliani.
Si festeggia il riscatto del popolo nero, la sua libertà dopo secoli di schiavitù e Zumbi incarna l’eroe, il simbolo di chi ha lottato perché ciò potesse accadere.
Ora il giorno della Coscienza Nera è festeggiato un pó per tutto il mondo dai rappresentanti della cultura afro-brasiliana, come i capoeiristas, i sambistas e tanti altri.

QUILOMBO DOS PALMARES

Since when the European people started travelling and wanting to conquer the new world, recently found, the slavery of the African people began. More than 400 years of traffic, legal and illegal, destroyed families and entire villages to bring into the new continent manpower and use it to death.
Slaves were used to work in plantations, farms and noble houses in urban areas. With the emergence of rebellions and the increased breakouts of enslaved people, this people started to self organize themselves, building villages inside the forest, where they would live freely, these villages were called QUILOMBOS.
The most famous quilombo was the one of Palmares, born in 1602, in the area of “Serra da Barriga” in Alagoas, through some forty slaves escaped from Pernambuco. Palmares grew into a hidden city inside forest and it was composed of 12 villages and 20.000 inhabitants.
In this quilombo lived black people from several different ethnic groups, native people and also white people.
The first leader of Palmares was Ganga Zumba (“the great lord”), which is succeeded by Zumbi.
During its existence of almost a century, this quilombo was attacked more than 25 times, always resisting the Portuguese and Dutch offensives. In 1694 this force was at last defeated and in the next year their leader as well.

ZUMBI

Born free in 1655.
He was kidnapped few months old in the quilombo of Palmares and deliverd as a gift to a priest that named him Francisco and that became very fond of him. In his childhood there is no lack of food, medicine and even good education.
At the age of 25, Francisco escapes, coming back to his quilombo, where he was renamed as Zumbi. At the time of his return to Palmares, the leader was Ganga Zumba and Zumbi, due to his education, becomes the leader quilombola adoptive nephew.
Meanwhile the expeditions against Palmares where growing both in power and in number and start to affect its people and Ganga Zumba as well. This is when Zumbi, young, strong, bold and commander of the soldiers has his first disputes with the leader.
When Ganga Zumba thinks that there is no other way except making an agreement with the governor, Zumbi is against, leading to the definitive rupture between the two of them.
Ganga Zumba accepts to negotiate with the governor, leaving Palmares with a small share of quilombolas and moving to Cacaú, where he had been promised lands, whereas the others remained alongside Zumbi, ready to fight for their freedom and to transform their quilombo into a giant fortress.
Zumbi was a ruthless warrior, unable to hesitate before any confrontation, his body was an arrow pointed at the heart of the society of slavery.

The war lasted 15, almost relentlessly, years and Zumbi never entered into any negotiations. At the end of the seventeenth century, the government, drying up their funds, organized the largest expedition against Palmares promising money to any volunteer and hiring the most famous indigenous hunter, who became master of war inside the forest, Domingos Jorge Velho.
In 1694, an army of 90.000 men march against the quilombo, only 130 years later (in the independency war) can we find a greater army. When the army arrives at Palmares, they could not believe that what they had ahead was the work of black men, not one but three walls of wood and stone encircled and defended the quilombo for around 5km.

TACTICS

After several months of guerrilla tactics, the army commanded by Velho enters Palmares destroying everything, 2.000 quilombolas escaped continuing several attacks on soldiers for almost a year, until Zumbi is murdered, betrayed in an ambush.
His head is exposed as a trophy in a square in Recife.

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

The 20th of November is a special day in Brazil, a day dedicated to the black people and their position in society.
It’s honored the death of Zumbi dos Palmares (20th of November 1695) and celebrated the fight for freedom.
All over Brazil, from the 70’s on, demonstrations appeared – always greater and with the presence of afro-brazilian movements.
It’s celebrated the redemption of the black people, their freedom after centuries of slavery and Zumbi embodies the hero, the symbol of who fought so that freedom could happen.
Nowadays, the Black Conscience Day is celebrated all around the world, by the agents of the afro-brazilian culture like capoeiristas, sambistas and many others.

Sapeca

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 1ª EDIÇÃO, NOV 2012. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s