NAQUELE TEMPO – Guerra do Paraguai

Oitava Edição, Outubro 2013:

Guerra do Paraguai

Texto de Sapeca

La storia della guerra del Paraguay si intreccia con la storia della capoeira.
Il Paraguay raggiunse l’indipendenza dalla Spagna nel 1811, diventando da subito oggetto delle mire espansioniste dell’Argentina e del Brasile. Mentre lo Stato passava da una dittatura ad un’altra, cresceva un’instabilità politica ed economica.
Uno dei dittatori più famosi del paese che lo portò poi alla catastrofe fu Francisco Solano Lopez, un eroe di guerra contro l’Argentina che aveva grandi mire espansionistiche all’interno del continente sud-americano. Lopez cominciò a finanziare il partito conservatore contro quello liberale dell’Uruguay, che era sostenuto da Brasile e Argentina, mirando ad un successivo controllo del paese uruguaiano. La sua paura era che il blocco delle nazioni governate da liberali avrebbe causato danni al Paraguay, che venisse estromesso dal commercio con questi paesi limitrofi, vista la sua posizione geografica e senza sbocchi sul mare. Il Paraguay era da anni ormai coinvolto in dispute con Argentina e Brasile.
Tutta questa operazione politica fu disastrosa, il dittatore uruguaiano dichiarò guerra al Brasile quando quest’ultimo aiutò l’Uruguay a liberarsi di un capo politico sostenuto da Lopez, senza però aspettarsi la formazione di una triplice alleanza (Brasile, Argentina e Uruguay) che si unì per combattere contro il Paraguay.
La guerra del Paraguay 1865-1870 fu una delle guerre più sanguinose dell’America latina, nel 1868 Lopez fuggì e continuò una guerriglia di altri due anni fino a quando il dittatore fu ucciso nel 1870.
Il popolo paraguaiano si era impegnato nello sforzo bellico di López, perché vedevano i benefici di quello che era l’unico Paese dell’America Latina dove tutti sapevano leggere e scrivere, dove non esisteva latifondo, e che non aveva debito con l’estero; e come risultato combatté fino all’esaurimento. La guerra lasciò il Paraguay in una situazione particolarmente grave; in particolare dal punto di vista demografico. Durante la guerra i Paraguaiani soffrirono non solo il nemico, ma anche la malnutrizione, le malattie e il dominio di López, che torturò ed uccise innumerevoli persone. Alla fine della guerra Argentina e Brasile si annessero circa 140 000 km2 di territorio paraguaiano.
Il Brasile inviò circa 150 mila uomini in questa guerra e quasi 50 mila non tornarono.
Qui entrano in gioco i capoeiristi.
Le truppe militari dell’epoca non erano sufficienti per combattere una guerra che si stava prolungando così a lungo e in un territorio così vasto.
Si crearono truppe di volontari improvvisate. Inoltre in questi cinque anni di guerra la nazione brasiliana reclutò chiunque avesse uno spirito patriottico, mentre la maggior parte dei reclutati erano prelevati con la forza dalle strade e dalle prigioni, molti di loro erano neri, schiavi e capoeira, che all’ultimo senza un addestramento adeguato venivano mandati a combattere.
Per tutti i capoeiristi era un occasione per riabilitarsi agli occhi della società, avere un riconoscimento e rientrare come eroi di guerra, senza essere più perseguitati e soprattutto tornare da uomini liberi.
Questa guerra li segnò profondamente, lottarono con tutta la loro audacia e sangue freddo, tenendo in conto le condizioni di guerra dell’epoca, ci furono moltissimi combattimenti corporali e si guadagnarono grande fama in questo campo di battaglia.
Fu così che i sopravvissuti, reclutati per ripulire le strade delle città, si tornarono gloriosi difensori della patria.
La storia dei capoeiristi nella guerra del Paraguay è cosa di 143 anni addietro, ma ancor oggi da qualche vecchio capoeira si sente ricordare quest’avventura come se fosse presente non solo nella memoria storica, ma come se fosse stata vissuta in prima persona……
A história da guerra do Paraguai se entrelaça com a história da capoeira.
O Paraguai ganhou a sua independência da Espanha em 1811, logo se tornando o objeto das ambições expansionistas da Argentina e do Brasil. Enquanto o estado passava de uma ditadura para outra, crescia a instabilidade política e econômica.
Um dos mais famosos ditadores do país, que levou à catástrofe foi Francisco Solano Lopez, um herói de guerra contra a Argentina, que tinha grandes ambições expansionistas do continente sul-americano. Lopez começou a financiar o partido conservador liberal contra o Uruguai, que foi apoiado pelo Brasil e pela Argentina, com o objetivo de um controle posterior do país, o Uruguai. Seu medo era de que o bloco de nações governadas pelos liberais teria causado dano ao Paraguai, que foram expulsos do comércio com esses países vizinhos, devido à sua posição geográfica e litoral. O Paraguai foi durante anos envolvido em disputas com a Argentina e o Brasil.
Toda esta operação política foi desastrosa, o ditador uruguaio declarou guerra ao Brasil quando este ajudou o Uruguai a se livrar de um líder político apoiado por Lopez, mas não esperava a formação de uma trípla aliança (Brasil, Argentina e Uruguai), que se uniram para lutar contra o Paraguai.
A Guerra do Paraguai 1865-1870 foi uma das guerras mais sangrentas da América Latina, Lopez fugiu em 1868 e continuou a guerra de guerrilha por mais dois anos, até que o ditador foi morto em 1870.
O povo paraguaio havia se envolvido no esforço de guerra de López, porque viram os benefícios do único país latino-americano onde todos sabiam ler e escrever, onde não havia grandes propriedades, e não tinha dívida externa; e como resultado, lutou até a exaustão. A guerra deixou o Paraguai em uma situação particularmente grave, em particular do ponto de vista demográfico. Durante a guerra, o Paraguai sofreu não só o inimigo, mas também a desnutriçao , as doenças e o dominio do Estado de López, que torturou e matou inúmeras pessoas. No final da guerra, Argentina e Brasil anexa cerca de 140 000 km 2 de território paraguaio
O Brasil enviou cerca de 150 mil homens para essa guerra e quase 50 mil nunca mais voltou.
Aqui entram em jogo os capoeiristas.
As tropas do tempo não foram suficientes para lutar uma guerra que se estende por tanto tempo e em um território tão vasto.
Eles criaram as tropas de voluntários improvisados. Além disso, nestes cinco anos de guerra, a nação brasileira recrutou qualquer pessoa com um espírito patriótico, enquanto a maioria dos recrutas foram levados a força das ruas e prisões, muitos deles eram negros, escravos e capoeiristas, que ao improviso e sem formação adequada foram enviados para lutar.
Para todos os capoeiristas era uma oportunidade de reabilitar-se aos olhos da sociedade, ter um reconhecimento e voltar como heróis da guerra, sem serem perseguidos e, especialmente, voltar como homens livres.
Essa guerra marcou-os profundamente, eles lutaram com toda a sua coragem e frieza, tendo em conta as condições de guerra na época, havia muitas lutas corporais e ganharam muita fama neste campo de batalha.
Foi assim que os sobreviventes foram recrutados para limpar as ruas da cidade, voltaram gloriosos defensores da pátria.
A história da capoeira na Guerra do Paraguai é o que 143 anos atrás, mas até hoje por qualquer velho capoeira se ouve recordar esta aventura como se estivesse presente não só na memória histórica, mas, como se tivesse sido vivido em primeira mão …
The history of the war in Paraguay intertwines with the history of capoeira.
Paraguay obtained independence from Spain in 1811 and became almost immediately an object of interest for Argentinian and Brazilian expansion. While Paraguay passed from one state of dictatorship to another, political and financial instability increased.
A war hero against the great Argentinian invasion, Francisco Solano Lopez, became one of the most noted dictators in the history of Paraguay and eventually, he lead the country to catastrophe. Lopez started financing the Conservative Party against Uruguay’s Liberal Party, which was supported by Brazil and Argentina, aiming at the possibility of controlling Uruguay. His main concern was the risk of the liberal nations’ control over Paraguay. In view of Paraguay’s geographical position the country was vulnerable to the commercial upper hand of the surrounding nations. For years Paraguay was in conflict with Argentina and Brazil.
Lopez’ political tactics proved disastrous. War was declared against Brazil, when Brazil attempted to assist Uruguay in its liberation from their political leader, whom Lopez supported. However, Lopez did not anticipate the triple alliance between Brazil, Argentina and Uruguay which fought united against Paraguay.
The war in Paraguay from 1865 to 1870 was the bloodiest was in Latin America. In 1868 Lopez fled and lead a guerrilla army for further two years until he was killed in 1870.
The people of Paraguay committed to Lopez’ warfare because it saw the advantages of their country as the only Latin American country where everybody knew how to read and write, where the was no latifundium and where there was no foreign debt. As a result, the people fought till complete depletion. After the war Paraguay was left in grave conditions especially from a demographic point of view. During the war the people of Paraguay suffered not only losses against the enemy, but also malnutrition, illness and the dictatorship of Lopez who tortured and killed innumerable people. By the end of the war, Argentina and Brazil seized about 140 000 km2 of Paraguayan territory.
Brazil sent about 150 thousand men into the war and about 50 thousand did not return.
This is where capoeira comes into the picture.
The military troupes at the time were not equipped sufficiently to fight a war which went on for such an extended period of time and which was executed in such a vast territory.
Improvised troupes of volunteers developed. Also, during the five years of war, the Brazilian nation drafted anybody who demonstrated patriotic spirit. However, the majority of the enlisted were collected by force from the streets and from the prisons. They were mostly men of African origin, slaves and capoeira fighters who were sent into combat without proper training. For the capoeira community this was an opportunity to re-establish before society, be acknowledged and come back as heroes from the war without being persecuted, and above all return as free men.
This war left a profound mark on the capoeira soldiers. They fought bravely and boldly; keeping in mind the war conditions of the period, hand-to-hand combat was very common and capoeira fighters, thus, gained recognition in the battlefield.
This way, the survivors, who had been enlisted to clean the streets of the cities, returned as heroic defenders of the homeland.
The history of the capoeira fighters in the Paraguayan war goes back 143 years, but still today some of the older members of the capoeira community invoke these events as if they were present not only as a historical remembrance, but as if they had been experienced in first person…
Anúncios
Esta entrada foi publicada em 8ª EDIÇÃO, OUT 2013. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s